31 de agosto: Dia dos Nutricionistas

Hoje, 31 de agosto, Dia dos Nutricionistas!!!

 

Momento oportuno para analisarmos a alimentação e, quem sabe, mudar alguns hábitos.

 

Nutricionistas brasileiros em 2011 celebram 44 anos de regulamentação da profissão, promulgada pela Lei n° 5.276 de 24 de abril 1967, que criou a profissão de nutricionista e regulamentou o exercício profissional, instrumento legal que vigorou até 1991, quando foi revogada com a aprovação da Lei n° 8.234, de 17 de setembro de 1991.

 

O site AFABB traz para você, nessa data especial, algumas dicas que poderão te auxiliar:

1 – Alimente-se a cada 3 horas: Esta dica é essencial para que você obtenha os melhores resultados na sua dieta. Um longo período sem comer provoca picos de fome e ainda faz seu organismo queimar gordura e ganhar massa muscular mais lentamente.

2 - Coma proteína: Proteínas são os principais componentes dos músculos e, assim como os carboidratos, só possuem 4 kcal por grama. Coma queijo, carne vermelha, peixe, frango, ovos, soja. Beba leite e iogurte.

3- Entenda as diferenças entre os carboidratos: Carboidratos contém 4 kcal por grama e são a principal fonte de energia para o corpo. Carboidratos complexos têm digestão mais lenta e garantem sua saciedade por mais tempo (alguns exemplos são pão, macarrão, arroz e biscoitos integrais). Os carboidratos simples (doces, farinha refinada e as versões não integrais dos alimentos anteriores) te darão um pique de energia. Mas, não se iluda, essa energia dura muito pouco, você sentirá cansaço e fome logo depois. Se você não tem o hábito de comer alimentos integrais, inclua aos poucos na sua dieta.

4 - Fique de olho no índice glicêmico: Quanto menor for o índice glicêmico de um alimento, mais lenta é a sua digestão. Produtos de baixo índice glicêmico também fazem com que menos insulina seja liberada pelo pâncreas. Estes motivos fazem o organismo priorizar a utilização destes alimentos como combustível ao invés de estocá-los como gordura. Então, acesse a Tabela de Índice Glicêmico da Sociedade Brasileira de Diabetes antes de escolher quais alimentos colocará no prato.

5 - Consuma Fibras: Como as fibras não são digeridas, elas não acrescentam calorias à sua dieta e aumentam a sensação de saciedade. O consumo regular de fibras reduz a retenção de líquidos, a constipação e ajuda na prevenção de doenças, entre muitos outros benefícios. As frutas e os vegetais folhosos são excelentes fontes de fibras, e ainda são ricos em vitaminas, minerais e antioxidantes.

6 - Coma “gorduras do bem”: Gorduras contêm 9 kcal por grama (mais que o dobro que as proteínas e os carboidratos!) e sua ingestão deve se limitar a 30% da sua alimentação diária. Por outro lado, as gorduras têm importante participação em várias funções do organismo, como no transporte das vitaminas A, D, E e K e na regulação hormonal. Então, o segredo é escolher as fontes corretas de gordura: azeite, salmão, óleo de linhaça, canola ou girassol. Evite as gorduras saturadas (comuns em produtos de origem animal) e retire as gorduras trans do cardápio (presentes principalmente nos alimentos industrializados).

7 - Beba bastante água: A água ajuda os rins e o fígado a eliminarem tudo que não foi aproveitado pelo organismo na digestão. Portanto, o organismo desidratado não funciona bem e torna-se mais lento, dificultando o ganho muscular e o emagrecimento. Além disso, água é um bom supressor de apetite e um excelente diurético.

8 - Evite o álcool: O álcool é o inimigo nº 1 da dieta e do atleta. Contém 7 kcal por grama, quase tanto quanto a gordura, e não tem nenhum benefício nutricional. Além de ser fonte de “calorias vazias”, o álcool deixa o metabolismo mais lento. Além disso, o álcool pode conduzir à hipoglicemia, seguida por picos de fome. E pode ficar pior: o álcool é prejudicial ao fígado. Enquanto o fígado trabalha para se livrar dos malefícios do álcool, deixa de trabalhar na queima de gordura. Se você não consegue abandonar de vez, alterne sua bebida preferida com água, para diminuir seus efeitos.

9 - Fique de olho no que coloca no prato: Observe a composição nutricional dos alimentos: quantidade de calorias, proteínas, carboidratos e tipos de gorduras; fique de olho no tamanho das porções; inclua legumes, verduras e frutas na dieta; tenha um diário alimentar para identificar os “pecadinhos” que estão atrapalhando a sua meta de perder peso.

10 - Mantenha o prazer de comer: Saboreie o alimento, use temperos diferentes, misture doce com salgado, experimente novos pratos, não se alimente assistindo televisão. Não diga “não posso comer”. Se você está de dieta, mas é saudável, você pode comer de tudo, mas deve estar atenta à quantidade. Se achar que não deve comer, diga “não quero comer”.                   Fonte de Pesquisa: Sociedade Brasileira de Diabetes

Entre em contato conosco, através do telefone 0800 283 72 76 ou pelo e-mail afabb@afabb.com.br

 

 

 

Por Ana Lúcia Lopes

 



.
Agência TWD - Comunicação Digital